Foi aqui que tudo começou

 Talvez seja impossível, ou um equívoco, separar a minha história da Primeira Agência do Mercado Farmacêutico: a Lápis de Cor. Fundada pelo meu pai, Mario Fernandes, foi a primeira agência voltada para o mercado farmacêutico, em 1982. Com raízes no Roche, contratado com o objetivo de formatar o Marketing Farmacêutico, Mario Fernandes saiu da Thompsom - uma grande agência do varejo - para criar o primeiro departamento de comunicação da Indústria Farmacêutica. 

Eu cresci envolvido nos papéis de sua prancheta, acompanhando o dia a dia de sua agência, ouvindo e admirando o seu trabalho. Hoje, grandes teóricos do marketing farmacêutico creditam a Mario Fernandes a inauguração do próprio segmento. Segundo a ESPN, a Lápis de Cor fundou as bases do que se tornaria o marketing farmacêutico. E eu estava lá. 

 

O mundo está em constante mudança. E a revolução digital trouxe uma velocidade inédita a evolução humana. O que era uma solução há 5 anos atrás hoje é ultrapassada. Muito tem se discutido sobre o papel das agências de publicidade no mercado. Estamos assistindo grandes agências fecharem segmentos e tentarem se reformular para a atual economia colaborativa.

 

Em 2017, eu decidi abandonar o modelo de negócios de uma agência de publicidade tradicional, inchada, grande e lenta. Porque hoje, através do poder da revolução digital, um pequeno grupo de pessoas bem escolhidas e treinadas são capazes de cumprir tarefas complexas com grande qualidade em curto tempo. A Flavio Fernandes Comunicação nasceu dentro deste conceito, tomando a economia colaborativa como base de suas operações. Concentrando seus recursos no core business da empresa: a inteligência criativa. E outsorcing um grupo especializado de colaboradores ao redor do mundo o desenvolvimento de materiais promocionais nas mais diversas mídias. 

 

Com este modelo, estamos trabalhando no nosso ano de inauguração em grande performance, entregando projetos complexos com grande qualidade e em pouco tempo.